01/10/2013

||| e a aula seguinte...


||| ... levei para a segunda aula uma frase que ouvi num dos encontros com professores que organizei recentemente: todos os alunos devem ter o direito a renascer. e nós, professores, também. a frase foi dita no contexto de um ano lectivo para o outro. eu, vou mais longe. de uma aula para a outra. o direito a renascer. a poder ser outro. a mudar. a transformar um mau momento num novo começo numa aula seguinte. diferentes na forma e na expressão as duas turmas que conheci neste dia eram, de facto, muito diferentes. estes, muito mais criativos na expressão. os outros, mais relacionais nas ideias. todos, pequenas grandes caixas de vontades e forças de serem originais. e no entanto, a palavra que guardei destas duas aulas foi: posso? posso levantar-me? posso mudar esta cadeira? posso escrever a azul? posso usar isto ou aquilo. a minha resposta é sempre que as regras são tijolos sobre os quais se constrói a autonomia e a confiança. tijolos. ao longo do tempo pouco serão os que se lembram dos tijolos da base quando olham para as paredes construídas. podemos por isso esquecer esses por uns instantes. e a minha resposta é sempre: podem. porque nas minhas aulas há só uma regra, o tecto, o pilar de cada aula: o respeito por mim e entre alunos. assim foi. e a porta da sala esteve sempre aberta ao dia de amanhã...