16/10/2013

||| les un et les outre... ou o som de cada uma das salas...


||| ... quando penso nas minhas turmas lembro-me sempre de um filme e de um som. este. uns e outros. a tradução em português deu qualquer coisa como retratos de vida. e recordo george steiner: a qualidade do silêncio está organicamente ligada à da linguagem. gosto muito desta sua entrevista. volto a ela muitas e muitas vezes. para além disso é a única fonte de fundamentação teórica que tenho para algumas vezes falar de harry potter como literatura a estar atento. com tudo isto estou a pensar na última aula dada aos meus alunos de outra turma. se precisam de ler, de desenvolver a escrita, de trabalhar a palavra, o primeiro desafio é conhecer o que está sempre no meio de tudo isso. o som e o silêncio. e assim foi. de olhos vendados foram [re]descobrir lugares comuns. a sala de aula onde estão. as escadas que sobem e descem todos os dias. a entrada e a rua. os sons. o caminhar sem ver. só para ouvir. não era o simples exercício de não ver. era o exercício de escutar o silêncio de que são feitas as palavras e as conversas. na sala o exercício transformou-se num trabalho concreto e criativo de olhar e ver nas imagens conceitos. e em vinte e cinco minutos, perante cinco fotografias de património local e social conseguiram associar mais de trezentas palavras construindo espaços entre os silêncios vividos. curioso que raramente damos esse poder ao silêncio. esse poder que steiner refere. esse lugar de vazio onde tudo habita. até as palavras que precisamos para explicar a realidade...