02/10/2013

||| na escola há tantos sons...

||| ... para mim que tenho uma noção muito complexa do tempo e da sua gestão não foi uma surpresa. sempre achei que a responsabilidade é mais importante que o reflexo condicionado. porque o tempo não existe, diria stephen hawking, e apenas a sucessão dos acontecimentos traduzidos em imagens que registamos dão o sentido de continuidade no correr de um dia. tudo isto porque no espaço da escola não há uma campainha. não há aquele som, que sempre detestei, a marcar o tempo que afinal não passa desse compasso de espera entre imagens. não há aquele lugar onde o conhecimento habita transformado numa fábrica onde os trabalhadores mudam de turnos ao som de um triiiiimmmmmm que marca o passo e o compasso de cada hora. ali, naqueles corredores, naqueles espaços, o tempo é de cada um e a responsabilidade de o gerir também. e com isto se ensina o valor do tempo, do silêncio e da presença. e todos estão na hora certa nos lugares onde devem estar. é talvez essa a mais bela de todas as coisas. como se fosse um encontro programado para uma conversa feita aula...