23/10/2013

||| saber o nome de tudo ou lembrar as palavras...


||| ... quiçá... o quê professor? profícuo... o quê professor? proliferação... o quê professor? inquieto... o quê professor? as palavras. esquecemos de ensinar, palavras. eu esqueci-me, por instantes, mas voltei a elas. e parei a aula. e vamos falar das palavras. só com elas conseguimos [ou tentamos] explicar o mundo. e já são tão poucas. as palavras. poucas, mesmo poucas. e dou um número de todas as palavras num dicionário. e dizem eles... ui... tantas. e digo eu que uso mais do que eles: e são tão poucas. e todos os dias morrem palavras. recreio é uma delas. digo vezes sem conta. deixamos de dizer: ir ao recreio. e era o tempo de recriar, refazer, repensar, brincar com o que se tinha aprendido ou se queria aprender. e passámos dizer: vão lá para fora. por oposição, a estar ali, na aula, ou apanhar ar. vão apanhar ar. coisa invisível e estranha. poética, talvez. e eles, sem palavras, não podem descrever o mundo. e nós, sem palavras, não o podemos mostrar. e esta é uma revolução a acontecer. não nos roubem as palavras porque precisamos delas para lutar pelo dia de amanhã...