27/11/2013

||| dos erros, lapsos e afins...


||| ... somos todos professores de português. ó professor, é com o acordo ou sem o acordo? é bem escrito, é a minha resposta. antes deste acordo havia outro. se souberem escrever bem com as regras anteriores a este que ainda não está em vigor, melhor. e relembro george steiner e as palavras. e não perco muito tempo com os erros. há uma regra. cada erro um balão para tomar conta uma semana. tenho um saco de balões comigo, sempre. mas isso não importa. importa-me muito mais o vocabulário. as palavras para explicar o real. a realidade precisa de palavras para ser explicada. se tal não existir, dentro de cada um deles, a realidade será algo de inexplicável ou a percepção sobre as coisas será muito pequena. e isso sim, assusta-me. assusta-me que num texto existam dezenas de palavras que não conhecem. um texto simples. e gosto de perder esse tempo de suspender a aula e explicar o sentido de uma palavra. não sou professor de português. sou professor. e as palavras são a matéria-prima de que são feitas as minhas aulas. se não falarmos a mesma língua [que falamos] a aula será só minha. e por isso é preciso começar pelo comum. o estar num espaço de palavras em comum. e construir tudo partindo desse espaço habitado de palavras que ganham sentidos. se a ortografia é relevante? é. mais é ter palavras com que escrever as ideias. muito mais.