22/11/2013

||| rir não é o melhor remédio mas ajuda...


||| ... nunca percebi esta necessidade de fazer da educação um lugar cinzento. rir é hoje um exercício fechado. o sorriso ainda mais. e o que gosto mais de ver nos meus alunos é mesmo aquele momento em que se desconstrói o lado sério e «adulto» e como eles próprios dizem [estranhamente] voltam a ser crianças.  estranho conceito eu que lhes digo que tenho a idade que tenho e ainda e sempre serei, criança. e um brincador, como no poema. mas para isso eles e eu temos que dominar o saber. os saberes. o conhecer. o que há para descobrir. e assim podemos brincar com isso tudo. brincar é um exercício muito complexo. talvez dos mais difíceis de fazer em educação. tal como rir. rir do que se está a aprender sem perder o norte, sem perder a exigência e a aprendizagem. é por isso que numa aula que estou a preparar sobre a cultura científica vou convidar os meus alunos a estudarem comigo a ciência do riso. como? terão que esperar para ver pois deixarei a aula pensada em breve por aqui.