21/11/2013

||| um dia será um dia...


||| ... apercebi-me que uma ideia é algo perigoso. e por isso é tão importante ensinar a ter ideias. e como fazer isso sem quebrar a ordem é algo de imensamente complexo. podemos quebrar as regras, não podemos quebrar a ordem. se aceitamos viver neste modelo social essa é a única linha de orientação inquebrável. e para quebrar as regras é preciso, em primeiro lugar, saber cada uma delas dominando com mestria a sua essência. é por isso que o professor deve ser um mestre no domínio de todas as regras. e uma em particular. a regra de como construir conhecimento. nunca fui muito naquela onda que refere que "eles aprendem comigo, eu aprendo com eles". sou mais " eles aprendem de mim e comigo, eu partilho experiências com eles". não é colocar-me à distância nem coisa parecida. é simplesmente o papel que tem o conhecimento lido como tal. se eu sou professor devo dominar esse espaço, esse lugar, essas regras de ser eu construtor do conhecimento que lhes posso transferir esse domínio pela prática. depois experimento com eles. e eles comigo. partilhando. se eu aprendo com isso, sim. mas esse não é o meu propósito inicial. é uma consequência de se ser humano e de partilhar vivências. se é imensamente rico esse lugar de experiências partilhadas? é. é por isso que sou um professor que coloca o perigoso lugar de ensinar a ter ideias no centro da sua prática. porque um dia as regras são quebradas e o conhecimento nasce de natural processo e a ordem, essa, talvez mude para um futuro que é deles, dos meus alunos, muito mais do que meu...