05/12/2013

||| o adamastor não tem barba e veste roupa de marca...


||| ... teorias pedagógicas. modelos pedagógicos. estratégias de sucesso para a aprendizagem. dez passos para ser um professor de sucesso. professor karamba e uma "teatro-terapia" em vinte sessões para ser melhor professor. fórmulas, questionários, kit's. livros de ajuda, auto-ajuda, entre-ajuda, inter-ajuda, super-ajuda. positivistas, construtivistas, psicanalistas. não, não, que eu tenho 137 anos de experiência e o melhor é mesmo isto [piiiiii]. e um gúru vestido de azul que fala de cima de uma mesa sobre mil formas de fazer uma apresentação de powerpoint de sucesso para leigos. e um polvo que adivinha os alunos que vão chumbar antes de começar o ano lectivo. e um homem que vende memórias e sonhos numa máquina de fazer castanhas assadas. sou professor. eu. bem ou mal. acho-me arrogantemente e estúpidamente, professor. o pior é que detesto fórmulas, receitas e gúrus. o pior é que não aceito a experiência como garante de conhecimento. eduardo lourenço, imensamente maior do que eu, diz com razão que a experiência é a arma mais perigosa dos pouco inquietos. a reflexão ponderada sobre a experiência já me deixa um pouco mais descansado mas são poucos os que a fazem. não quero escrever um livro. nem tenho certezas. nenhumas. pelo contrário, tenho e posso vender a minha solução em dois milhões trezentos e vinte e um passos para ter sempre e constantemente mais dúvidas. para quem queira dúvidar de tudo o que faz e como o faz. mas isso ninguém quer... e tenho medo de pessoas com certezas em fórmulas absolutas no campo da educação. brinco muitas vezes que um dia ainda vou ver numa estante um livro, tipo livro de cozinha, para professores. junta-se três alunos morenos, um baixo e um alto, uma pitada de giz, paciência qb e temos uma aula. a verdade é que me sinto cansado de ver isso tudo. ler e ver sempre tanta gente perfeita com tantas certezas. recordo a frase de um poema: e eu tantas vezes vil. eu, professor sem 137 anos de experiência que só tenho este quadradinho virtual para descarregar memórias, partilhar aulas que se calhar só funcionam uma vez ou dizer disparates para além do razoável só consigo pensar na felicidade que será um dia eu ser um desses nobres pensadores que conseguem mudar o mundo e serem professores de sucesso em sete passos. eu que já errei tanto. que paguei e não paguei por isso. eu que feri pessoas sem o desejar. eu que saí ferido, sem o querer. eu, cada vez mais um professor imperfeito declarado. por isso, limito-me à minha vil insignificância de ser na minha aula, com os meus alunos, que partilho as minhas dúvidas e curiosidades. o resto fica para todos aqueles que sabem muito mais do que eu... sou um professor cheio de dúvidas, eu, somente isso... e somente isso tenho para partilhar...