18/12/2013

||| não há água que não molhe...


||| ... há na dignidade da profissão docente um registo importante. o registo que fica da presença. da imagem da presença. é um espólio de registo que não pode ser esbanjado. porque quando o professor está presente está presente o conhecimento, a serenidade e a seriedade da cultura e do saber em movimento e partilha. e nada há de mais grave do deixar que outros, pelo poder momentâneo ou pela leviandade de uma qualquer visão política e ideológica retirem esse património que pertence a cada professor. ao contrário de todas as profissões o valor de referência do professor não está só na actividade que exerce. está em si, como pessoa e como cidadão. no espaço da escola a presença é a construção de uma identidade de admiração. e o pior que podem retirar a cada professor é isso mesmo. hoje, ao ver tudo o não devia acontecer, reparo que o ganho está ai. em tudo, todos perdem. quem tem poder e o exerce erradamente. quem se indigna e ultrapassa a representação construída para além dos limites de auto-regulação que deviam ser balizas e limites para qualquer acção. nunca mais seremos os mesmo. é essa a vitória deste dia. deles. não nossa. infelizmente.