12/12/2013

||| um homem parado no futuro...


||| ... li há uns dias o desafio de pensar a escola em dois mil e vinte e três. dez anos depois de agora. então é simples. aqui fica o meu relatório.
... em dois mil e vinte e três portugal está na segunda fase da mais inovadora reforma estrutural em educação feita na europa a trinta. cada escola é agora dirigida por um conselho de professores que se organizam em projectos educativos locais. cada escola tem o máximo de trezentos e cinquenta alunos e cada turma o máximo de quinze alunos. as escolas são espaços abertos à comunidade em diferentes momentos estruturados para a inclusão de todos os agentes educativos na melhora da escola em todas as suas vertentes. há um currículo nacional com programas adaptáveis quer no tempo quer no conteúdo e essa adaptação é feita pelos professores consoante as necessidades identificadas pelos mesmos numa lógica de autonomia de intervenção. cada escola cria ofertas disciplinares próprias o que dá uma identidade específica a cada uma, quer por área de intervenção, quer por tipologia temática para aprendizagens específicas. o ensino profissional pertence agora aos centros de formação e emprego e são organizados e pedagogicamente coordenados com equipas das empresas o que liberta a escola pública para um vocação mais geral e preparatória para o ensino científico. os professores fazem percursos de carreira de quatro em quatro anos em que está incluída a renovação de conhecimentos científicos e pedagógicos por via de formação organizada por cada escola em função dos seus objectivos gerais e específicos. deixou de haver avaliação quantitativa. os alunos são alvo de um acompanhamento pelos professores e equipas de apoio pedagógico e educativo que desenham um perfil de competências e conhecimentos que resultam numa certificação final com identificação das mesmas assim como de melhorias possíveis para o percurso futuro do aluno. esta avaliação torna vinculativa a forma de trabalho em função do percurso de cada aluno no sistema de ensino. portugal abandonou a avaliação do modelo existente a nível europeu e lidera uma reforma do sistema educativo em ruptura com os padrões da primeira década do século vinte e um...
... até dois mil e vinte e três é o que consigo pensar. não é utópico. é só um caminho. válido como qualquer outro. e sinceramente, apeteceu-me fazer este exercício...