27/01/2014

||| aula em que não se brinca com a comida...



||| ... pedagogia: pela construção de formas em altura os alunos são desafiados a conhecerem a visão espiritual e/ou mundana da relação entre o homem e a representação arquitectónica da religião vista enquanto modelo social e de expressão simbólica da representação divina nos espaços de culto ao logo da história.

||| ... metodologia: para a aula são necessários alguns recursos - um pacote de esparguete [fora de circulação/consumo], uma barra da plasticina e imagens de igrejas/espaços religiosos de diferentes épocas/estilos arquitectónicos. a sala precisa de preparação prévia. em mesas em estilo de ilhas são colocados os materiais e as imagens. são ainda impressos em folhas brancas palavras/conceitos como: contraforte, verticalidade, etc... os alunos são convidados, com o esparguete e a plasticina a construírem uma estrutura em três desafios: primeiro - uma estrutura em comprimento extenso. segundo - uma estrutura em altura. terceiro - uma estrutura que conjugue as duas componentes - altura e comprimento.  ao longo do desafio os alunos vão perceber que diferentes estruturas implicam diferentes estilos e tipos de construção. são sempre trabalhados pelo professor os conceitos. o conceito mais facilmente introduzido é o de contraforte. assim como, são facilmente explorados os conceitos de arco, ogiva, pilar, suporte, etc... a aula termina quando todos os grupos tiverem conseguido criar uma estrutura válida e analisado a evolução histórica da representação social e cultural da arquitectura em relação directa com o poder espiritual no contexto histórico.

 ||| ... esta aula tem como tema: a arquitectura/estilos arquitectónicos e a representação social e cultural do poder espiritual/religiões na construção de espaços de culto em diferentes épocas históricas.