22/01/2014

||| da beleza roubada ao discurso do rei...


||| ... peço muitas vezes aos meus alunos para fazerem apresentações orais dos trabalhos, temas ou projectos que desenvolvem. o discurso. a nitidez, clareza e beleza do discurso. peço, também. eu sei, sou um professor exigente. é por isso que não gostam de mim aqueles que querem coisas simples. o discurso é tão importante como o conteúdo. porque a ideia é tão importante como o argumento. solidifica-o. torna-o visível. e os meus alunos são pessoas com ideias. por vezes, estas perdem-se pelo caminho pela desconstrução do discurso que não chega a ter forma de mostrar a ideia. faltam aulas de oratória. ou tempo para ensinar a forma simples de apresentar um projecto. já nem digo oratória. como professores damos cada vez mais valor ao escrito. e menos ao dito. e depois quando pedimos para serem apresentadas ideias em forma de discurso ficamos surpreendidos com a dificuldade e grau de não-beleza do mesmo. nem sempre é assim. e ainda bem. deixar os meus alunos falar é uma regra de ouro que tenho. procurar o equilíbrio entre o dito e o escrito. porque o futuro será sempre da palavra. e esse é o nosso quinto império. mas é preciso cuidar dele ou morrerá um dia esquecido na tecnocracia das coisas que se querem evidentes...