17/01/2014

||| e entretanto o tempo fez cinza da brasa...


||| ... ando a pensar numa aula sobre o tempo. sim, só sobre isso. o tempo como tema. explicar o tempo. explicar a sucessão das coisas. cada vez mais os meus alunos pensam que vivem no presente. tudo é agora. ou a antecipação de uma coisa nova. da última coisa nova. como se pode explicar a uma pessoa que tem cinco ou dez anos de memória activa que somos frutos de milénios de história. e que podemos antecipar o futuro pela percepção da construção do tempo. antecipar não é planear. é pensar antecipadamente. assusta-me cada vez mais quando falo com alunos e muitas vezes me dizem que ainda não sabem o que querem ser. não me assustam que não saibam. assusta-me que não pensem nisso. que será o que tiver que ser. ou o desenrascar para sobreviver. e pergunto-me se isso não será a noção do tempo que hoje não há. esse antes e esse depois que deixámos de pensar em conjunto. e uma aula pode ser isso. esse espaço de pensar. assusta-me cada vez mais ver uma geração presa no presente. como eu, professor. mas eu consigo pensar o presente, o passado e o futuro. e arrisco a correr o risco de lhes dizer isso. acho mesmo urgente ensinar o tempo. exista ele ou não. mas explicar. pensar. é urgente.