27/01/2014

||| o conhecimento é grátis...


||| ... a césar o que é de césar. ao homem o que é dos homens. aos deuses o que é dos deuses. e ao esquecimento todas as outras coisas que ficam pelo meio de tudo isto. tirei esta fotografia para ilustrar este pensamento. que o conhecimento é um lugar, uma coisa, gratuita. o que eu sei qualquer um pode saber. não é o que vivi ou o que a experiência me ensinou. isso guardo-o comigo como saber dos deuses. é o conhecimento. o que sei. basta pegar nos mesmos livros do que eu. ouvir as mesmas pessoas. entender as mesmas coisas. visitar os mesmos lugares. será? será assim tão fácil ou tão difícil? penso nisto sempre que vou dar uma aula a uma escola que não é a minha. a alunos que não são os meus. quando me pedem. sempre achei que o conhecimento é gratuito. não é que não tenha um custo. ou um valor. tem. mas não se traduz. não é possível traduzir-se esse valor. o valor de ensinar é medido em tempo e na forma de o fazer. nos recursos. agora o conhecimento não. é mesmo isso. é gratuito porque está acessível. basta ver. basta viver. basta procurar. basta ouvir. basta pensar. e por isso quando me dizem que há um valor em saber mais do que os outros ou ser reconhecido por esse conhecimento assusto-me sempre. desumanizamos até o simples acto de conhecer e partilhar o conhecimento. e passamos a cobrar pelo conhecimento. não estou a falar do acto/trabalho de ensinar. esse sim deve ser pago no seu valor que é o tempo e labor. estou a falar do conhecimento em si. da sua natureza tão simples que até se torna estranho pensar no seu valor num tempo em que tudo é economia. e olhei para o navegador uma vez mais. saberá ele tudo isto? terá ele pensado que o mundo que iria dar a conhecer um dia seria fechado pelo custo de procurar saber um pouco mais? e fechei os olhos. lembrei-me que era professor. uma senhora inglesa que visitava o mesmo espaço perguntou-me quem era aquele ali no cimo. e estive meia hora a conversar, porque afinal, eu só sabia uma coisa que ela queria saber...