01/10/2014

||| de tanta reunião já perdi o número das coisas...


||| ... é só olhar para a placa de cortiça. mais uma reunião. de dezenas. quantos faltam na tua? quatro, ainda faltam quatro professores. e vamos ter que repetir depois quando vierem. mais uma. mais umas. e há gente que fala. gente que não fala. coisas ditas para ouvir. coisas ditas para se ouvirem. coisas não ditas. coisas por dizer. papéis quando nada há mais a dizer. para preencher. para entregar. para explicar. normas. mudanças. despachos. informações. outra vez. uma até ouvida já três vezes com o pedido de desculpa se alguém já ouviu. e levanto o dedo, e digo que gostava de discutir estratégias colectivas. e mandam-me calar de forma politicamente correcta dando mais um papel para preencher. e mais uma coisa dita. uma norma do regulamento [que ninguém leu] que é preciso rever. mais uma "política da escola". e mais umas coisas. e a acta. o que fica para a acta e o que não fica. e uma reivindicação. não há condições. mas isso não fica na acta. e as metas. e ainda nem comecei a dar aulas já me repetem as metas. e os exames. e os testes intermédios que já não o são. e a normalização das notas. e mais uma reunião para falar do plano de não sei o quê que ninguém vai ler mas todos vão dizer que sim, que leram, porque fica mal dizer que estamos todos fora da lógica do plano que ninguém lê mas onde todos temos que colocar coisas. e depois alguém pede coisas para o jornal da escola. e ainda falta falar dos casos dos miúdos com necessidades educativas especiais, são quatro na turma fora os outros que não o são mas precisavam tanto de apoio directo mas isso não importa porque não há tempo para falar na reunião. e há o compasso de espera para que chega o psicólogo que se desdobra em vinte salas que lhe parecem cem. e diz em cinco minutos algumas coisas que ninguém já consegue ouvir pelo desgaste de tudo aquilo e no final um cansado "até amanhã" e ao passar nos corredores lá está a placa de cortiça com mais uma para a semana para falar da cor do burro quando foge. haja paciência para tanta falta de produtividade [diria falta de pachorra, mas não se usa], como modernamente se diz...


Sem comentários:

Enviar um comentário