29/10/2014

||| a doença do powerpoint...


||| ... é tipo praga. o powerpoint. acho mesmo que já ninguém sabe viver sem o coiso. aquela coisa. o quadro serve só para projectar. seja ele interactivo ou daqueles de caneta. tudo resumido. tudo explicado. esquemas. texto, coisas. imagens são excepção. mas é uma overdose que não se suporta. qualquer coisa que nos querem "explicar", pimba. powerpoint, está aqui. eu não nego a utilidade e a coisa ser prática. nego é a utilização sempre. como se fosse a única forma útil de explicar qualquer coisa. porque não um bom esquema "à moda antiga" no quadro, escrito, rabiscado, corrigido, feio mas construído "em tempo real". mas depois dizem-me os alunos: ó professor podia ter posto isso num powerpoint. ou dizem os colegas "faltaram uns powerpoints para rever as ideias". mas eu fiz a revisão. e podia ter posto bonito. mas não queria. porque queria "pensar" em directo e ao vivo. queria explicar uma lógica. um raciocínio. mesmo sem rede. sem ter "preparado" a coisa. porque pensar é tão importante como organizar. e partilhar o processo de pensamento é mais útil do que ter um fundo bonito e umas letras giras. mas deve ser eu que gosto de giz, ainda...

Sem comentários:

Enviar um comentário