08/10/2014

||| os bons alunos nunca são perdoados...



||| ... olhei para eles. destacavam-se sempre os barulhentos. os irrequietos. os desinteressados. e até os indiferentes ou expectantes. é preciso olhar para eles, várias vezes. no primeiro dia de aulas. no segundo dia de aulas. no décimo dia de aulas. no meio, um bom aluno. eu sou daqueles que diz sempre que não tem bons alunos. tem alunos e alguns são bons estudantes. mas bons alunos é uma categoria sinistra quase tão útil como a "boa pessoa". já vi "boas pessoas" serem más e "más pessoas" serem boas. como já vi "bons alunos" errarem redondamente e vi "maus" alunos acertarem imensamente e surpreendentemente. mas às boas pessoas tudo se perdoa. e aos bons alunos nada se perdoa. "isso não parece vindo de ti ó ricardo". não perdoamos o erro. o baixar de nível. o não cumprimento da expectativa. é estranho este movimento de mão e de pensamento. é quase como um estado contínuo de expectativa. e assusta-me. os prodígios sempre me assustaram. porque isso mesmo, porque são, prodígios. crianças que sabem contar até cem aos dois anos, miúdos que com dezasseis anos leram um qualquer compêndio científico ou literário. e surgem com o rótulo: excelente. fabulosos. um doce de miúdo e ainda por cima bom aluno. um santo, penso eu baixinho para ninguém ouvir a minha heresia. e depois é tudo feito por comparação com os outros. os da turma. ou um só miúdo que não é prodigioso ser como o outro santo. ou eles todos, em turma. à espera da resposta do santo. não sei a razão mas sempre perdi muito tempo com estes miúdos. em conversas. e sempre os encontrei afastados da realidade. centrados no que esperam deles. nem que sejam eles próprios. numa auto-censura constante. e quando digo estas coisas a que muita gente chama de barbaridade, oiço sempre: ah... mas a margarida até sai à noite. e anda na natação. e tem muitos amigos. nem me vale a pena explicar porque todas essas afirmações são preocupantes só porque são antecedidas do: "até". é por isso que numa aula, dedico tanto tempo ao meu "melhor estudante" como a todos os outros. porque a pior coisa que podem ter, saber e sentir, é que espero deles mais do que de qualquer outro. não é assim. não pode ser assim. 

Sem comentários:

Enviar um comentário