05/11/2014

||| do medo da mudança...


||| ... sempre que se faz diferente. sempre que se diz algo diferente. sempre que se provoca algo diferente. o medo, chega. fica. isso não é possível. isso é gozar com as pessoas. isso não se faz. isso desvaloriza a imagem. isso, isto, aquilo. tudo serve de arma de arremesso para travar a mudança. e a escola, lugar que devia ser de vanguarda, definha. e o professor que devia liderar a mudança, torna-se obsoleto. não a pessoa. a função desenhada anteriormente, no tempo em que o saber era, em si mesmo, vanguarda do mundo que mudava. a cabeça, a racionalidade, o pensar. isso sim. o fazer, o mudar, o mover, isso não. a teoria ganha lugar de intocável senhora de respeito. perdeu até a sua origem. o ser sustento. suporte. fundamento. fundação. fundação para a lógica prática. para a mudança das coisas que precisam de mudar. urgentemente. que clamam em cada acto inapropriado, como um convite. e a resistência em vez de diminuir, aumenta. parece até que se gosta do tempo e do modo em que a escola está...

Sem comentários:

Enviar um comentário