17/03/2015

||| desistir de alguns alunos...


||| ... estou a pensar no que será feito do eduardo. já faz uns bons anos. era um miúdo do nono ano. de calças caídas quando isso era moda. mãos nos bolsos do casaco. uma vez encontrei-o encostado a uma parede. de olhos colocados no chão. então, eduardo, não vais às aulas? ó professor, já desisti disto. quero é ir trabalhar. parei. sentei-me no chão com ele. estivemos à conversa uma boa hora e tal. no final, disse-lhe que no dia em que na escola um professor desistir de um aluno é no dia em que a escola morreu. ele sorriu. ainda bem que não desistiu de mim professor. gostei da conversa. combinámos fazer aquilo mais vezes. nesse ano, foi mesmo assim. eram umas conversas sobre tudo e sobre nada. serviam de escape para uma vida e dias duros que ele tinha. para mim era a forma de lhe dizer que havia alguém que se importava. infelizmente, com a escola como hoje temos, este tempo quase não existe. temos tempo para respostas memorizadas, secas, repetidas sem alma. ou para "encaminhar" os miúdos para as "respostas" disponíveis. e é isto. e com isto estamos a desistir deles. ou a deixar que eles desistam a escola. ainda mais. todos de olhos fechados. como se tal coisa fosse "normal". não é...

Sem comentários:

Enviar um comentário