15/04/2015

||| da violência na escola...


||| ... custa pensar e ver que o último lugar seguro é agora um lugar onde começa a violência a instalar-se. a escola. passar por dois miúdos que se agarram em brincadeiras mais físicas sempre aconteceu. era preciso parar e dizer: é pá, isto é a escola, aqui não. nem aqui nem em nenhum lado. ensinar os valores de conviver. de estar no espaço comum. agora são os estudos. da violência no namoro à violência na escola. entre miúdos. com o grau de brutalidade superior ao que devia, de todo, ser permitido. a escola não tem respostas adequadas para nada disto. os "processos" são coisas obsoletas e inúteis e só servem para ferir de morte a identidade da escola enquanto comunidade. o "lavar de mãos" de todos os que podiam actuar é evidente. o cansaço não ajuda. o desânimo também não. mas o "fechar de olhos" é pior do que tudo o resto. sobre a violência na escola, tenha ela que forma tiver, a tolerância tem que ser zero. e tudo começa por todos aqueles que se desligaram de cumprir a sua função de mediar as relações de todos com todos. a começar pelos professores e a terminar em quem educa em casa. não se consegue travar isto se não estiver o exemplo como modelo de referência a cumprir. é preciso parar num corredor e dizer: isso não se faz. nem aqui, nem em lugar nenhum. mesmo que isso seja aborrecido de fazer. pior é a consequência de não actuar. na escola, não pode existir inoperância e não actuação quando falamos de actos violentos. o risco é demasiado grande para que nada se faça, novamente...


Sem comentários:

Enviar um comentário