18/05/2015

||| do tempo das coisas certas na escola...


||| ... pensar nesta geração. houve quem tivesse entrado para a "escola" com meses. meses de vida. colocados no sistema. à sua guarda. porque os pais, esses, tinham trabalho para cumprir. não por opção. tantas vezes, sem opção, é esse o caminho. e depois tudo corre com a sorte ou não. desses meses ao décimo segundo ano. e diria mais: para alguns, até ao fim do ensino superior. frutos de um sistema que os deseja quietos e responsáveis. tudo ou quase tudo feito fora do seu tempo. a escolarização do pré-escolar é o maior atentado ao direito de ser criança que existe. do lado oposto, um ensino superior repetitivo e castrado no livre arbítrio e livre pensamento faz técnicos. produz, técnicos. no meio, a escola tornou-se uma prisão. um lugar onde se está como se podia estar em qualquer outro lugar. a educação passou a ser um luxo de quem pode ter outras regras de vida que não sejam aquelas dos horários para cumprir e dos sistemas que se acumulam uns sobre os outros. um luxo. de tempos a tempos surge uma notícia de uma escola inovadora. recentemente uma onde não havia computadores. achamos inovador tudo o que não seja ordinário. sistemático. cinzento. em modelo de "aviário". é um cenário estranho este. que fingimos não ver. mas vivemos, nas escolas...

Sem comentários:

Enviar um comentário